academy
Segurança
Privacidade
Desempenho
Selecione o idioma

Macs pegam vírus?

Sim, Macs podem pegar vírus e outras formas de malwares. Mesmo que computadores Mac sejam menos vulneráveis a malwares do que PCs, as funcionalidades de segurança integradas do macOS não são fortes o bastante para proteger seus usuários contra todas as ameaças online. Continue lendo para saber tudo sobre malwares para Mac.

Can_Macs_Get_Viruses-Hero

Macs podem pegar vírus?

Há um mito entre usuários de Mac que esses computadores da Apple não pegam vírus nem outros tipos de malwares (softwares maliciosos). Essa crença provavelmente se deve ao fato de que cibercriminosos têm focado seus esforços principalmente no desenvolvimento de malwares para Windows. O motivo é simples: essas máquinas representam 90% de todo o mercado, gerando mais retorno pelo investimento dos bandidos.

Hamburguer menu icon

Este artigo contém:

    Mas vírus para Macs estão cada vez mais comuns. Cibercriminosos não param de criar novas ferramentas de ataque, incluindo o desenvolvimento de malwares específicos para computadores da Apple. Um estudo recente mostra que ameaças a Macs aumentaram mais de 400% no ano de 2019 em relação a 2018, ultrapassando o Windows em uma proporção de dois para um

    A combinação desse aumento expressiva com a falsa sensação de segurança resulta em milhões de Macs vulneráveis. Mas mesmo que os computadores da Apple possam pegar vírus, o seu não precisa ser um deles. E lembre-se, apesar do termo “vírus” ser usado para nomear todo tipo de malware, a maioria das ameaças digitais de hoje não se enquadram nessa classificação e certamente também afetam Macs.

    Continue lendo este artigo e aprenda a proteger seu Mac contra vírus e a fortalecer a segurança da sua máquina com as nossas dicas e truques.

    Sinais de que seu dispositivo pode estar infectado

    Muitas coisas podem dar errado no seu Mac quando ele é infectado por um vírus ou qualquer outro tipo de malware. Mesmo que seja difícil detectar a forma precisa do malware na sua máquina, alguns dos sintomas mais comuns de um computador infectado são:

    Icon_01Lentidão: Seu Mac ou determinados aplicativos ficam mais lentos.

    Icon_02Ataque de anúncios: Um grande número de anúncios e pop-ups, especialmente em sites que normalmente não os exibem, é sinal de problema. Adwares inserem anúncios em todos os lugares, até mesmo quando você não está online.

    Icon_03Aplicativos e outras ferramentas baixadas sem permissão: Caso perceba o surgimento de novos aplicativos, arquivos ou barras de ferramentas em navegadores sem que você os tenha instalado, fique alerta. A mudança inesperada de configurações em navegadores, como a definição de uma nova homepage, também exige atenção.

    Icon_04Menos espaço de armazenamento: Muitos malwares baixam e instalam arquivos em um dispositivo sem a permissão do usuário. Você pode não encontrar esses programas indesejados na sua máquina, mas o espaço disponível a programas e aplicativos que você usa irão diminuir drasticamente. Caso note uma redução repentina no espaço de armazenagem, isso pode ser sinal de que o dispositivo foi comprometido.

    Icon_05Comportamento estranho: Caso sua navegação seja redirecionada a sites de spam ou se o seu Mac apresenta falhas e travamentos com frequência, essas coisas podem ter sido causadas por vírus ou outros malwares.

    Não é possível fazer um diagnóstico preciso com esses sinais, já que outras coisas também podem estar acontecendo no computador. Lentidão, em particular, pode ser causada por um Mac sobrecarregado. Então é aconselhável a limpeza de arquivos inúteis para ver se isso acelera o computador.

    Quais são as ameaças mais recentes contra Macs?

    Com o quê usuários de Macs devem se preocupar? A lista abaixo traz os tipos mais comuns de malwares para computadores Mac.

    • Ransomware. Vistos como os piores malwares de todos, os ransomwares sequestram arquivos ou até mesmo dispositivos inteiros. Cibercriminosos usam essa ferramenta para se apossar de documentos pessoais ou valiosos e pedir um resgate em troca da chave de descriptografia ou liberação dos arquivos.

    • Adware. Esse é um tipo de malware especialmente irritante. Ao invadir um computador, ele não para de exibir anúncios e pop-ups, podendo prejudicar o dispositivo, rastrear o usuário e prejudicar o desempenho da máquina. O Avast bloqueou cerca de 4 milhões de adwares em Macs somente em 2017, mostrando que esse é o tipo de malware mais comum em Macs.

    • Cavalos de Troia. O cavalo do Troia é um tipo de malware que, como seu homônimo da Grécia antiga, descobre uma forma de invadir o dispositivo fingindo ser um arquivo seguro ou até mesmo útil. Enquanto isso, em segundo plano, ele rouba os dados do usuário ou baixa outros malwares no dispositivo infectado. Cavalos de Troia em Mac baixam outros malwares no sistema, como adwares ou rootkits.

    • Vírus. Vírus de computador é um código malicioso que sequestra os recursos de um dispositivo sem a permissão do usuário. Depois ele se replica e se espalha para outros dispositivos e redes, deixando um rastro de destruição por onde passa. No macOS, é mais provável que vírus se escondam em arquivos de Word, como .DOC ou .DOCX, e eles despertam para a vida assim que suas macros são ativados. 

    • Spyware. Cibercriminosos usam softwares de espionagem maliciosos (spywares) para ganhar acesso ao comportamento do navegador, detalhes bancários, padrões de pressionamento de tecla ou outras informações pessoais comprometedoras. A informação coletada pode então ser usada para roubo de identidade ou serem vendidas a terceiros.

    • Rootkits. Rootkits invadem as profundezas de um dispositivo, conseguindo acesso à raiz da máquina. Mesmo que não sejam a forma mais comum de malware para Mac, a possibilidade de que rootkits fossem usados no macOS surgiu em 2009 com o desenvolvimento do Machiavelli, um malware específico para Mac.

    • Phishing. Phishing não é necessariamente um malware, mas um golpe que é aplicado pela internet. Ele é um tipo de engenharia social em que cibercriminosos se passam por uma empresa ou um contato próximo para fazer com que as vítimas revelem informações pessoais que podem ser usadas para fraude de identidade ou roubo financeiro.

    • PUPs. Programas potencialmente indesejados (PUPs, do inglês Potentially Unwanted Programs) geralmente se apresentam empacotados com outros softwares. Uma das formas como eles se apresentam é como barras de ferramentas de navegadores que rastreiam o histórico de internet e exibem anúncios para programas de criptomineração que, por sua vez, podem sequestrar o poder de processamento de um dispositivo. Ou seja, PUPs são realmente programas indesejados.

    A melhor forma de se defender contra as ameaças listadas acima é com a instalação de um antivírus potente. O Avast Security para Mac é desenvolvido especialmente para proteger Macs contra qualquer tipo de malware que cibercriminosos colocam no seu caminho. Com proteção extra contra ataques phishing, links e anexos de e-mail maliciosos, PUPs e redes Wi-Fi desprotegidas, você fica seguro na web independentemente do que faça ou a que rede se conecte.

    Uma breve história do vírus para Mac

    O primeiro vírus para Mac foi desenvolvido em 1982. Desde então, as ameças para Mac continuam crescendo incessavelmente. Como dito anteriormente, vírus é apenas um tipo específico de malware. Mesmo que existam muitos vírus para dispositivos Apple, há certamente mais do que somente vírus para Macs, incluindo os seguintes ataques infames recentes:

    • Em 2012, o malware Flashback, um cavalo de Troia criado para sequestrar informações pessoais de usuários, infectou mais de 600 mil computadores Apple. 

    • O ano de 2016 viu o primeiro tipo de ransomware para Mac com o malware KeRanger. O KeRanger criptografou documentos e dados de usuários exigindo o pagamento de um resgate em Bitcoin para desbloquear os arquivos.

    • Em 2017, surgiram outros quatro tipos conhecidos de ransomware: o Patcher, Proton-infected Handbrake, Proton-infected Elmedia Player e o BitCoin Ransom Thieves.

    • Na mesma época, outro cavalo de Troia chamado OSX.Proton abriu brechas de ataque em milhares de computares. Essas vulnerabilidades foram usadas para roubar credenciais de contas de usuários de Mac e infectar as máquinas com arquivos maliciosos.

    • Também em 2017, criminosos lançaram uma série de ataques phishing para disseminar um malware chamado DOK, dirigido a usuários de Mac. 

    • Em 2018, o malware OSX/MaMi atingiu e infectou milhares de outros Macs, tomando controle dos pedidos de DNS de computadores para espionar o comportamento de navegação dos usuários.

    Esses são apenas alguns exemplos importantes de malwares para Mac. Infelizmente milhares de novas ameaças surgem todos os dias com foco nos usuários de Apple.

    Funcionalidades de segurança integradas no macOS

    Mesmo que o número de malwares para Mac esteja aumentando rapidamente, Macs contam com excelentes funcionalidades de segurança que ajudam a protegê-los contra ameaças. 

    O macOS, sistema operacional da Apple, veio do UNIX como um sistema multiusuário. Isso quer dizer que ele foi desenvolvido para restringir o que os usuários poderiam fazer, dificultando o ataque com malwares (em comparação com o sistema multiusuário do Windows, que pode ser facilmente conectado em rede). O sistema baseado em UNIX também envolve arquivos que não podem ser executados como padrão.

    Quando foi desenvolvido inicialmente, o macOS não era impenetrável, mas exigia ferramentas e habilidades diferenciadas. Mas agora, cibercriminosos investiram nessas habilidades e ferramentas. Em outras palavras, no passado a Apple pode ter sido uma fortaleza cercada por um fosso de água cheio de crocodilos, mas agora, cibercriminosos já aprenderam exatamente como invadir essas máquinas.

    Mac App Store

    Outra funcionalidade integrada de segurança é a App Store, que usa uma rede de desenvolvimento fechada para exibir novos aplicativos. Antes mesmo que um novo aplicativo seja disponibilizado para download, a App Store exige o ID Apple de um desenvolvedor já verificado, provando que ele não foi vetado pela empresa.

    Essa checagem minimizou, mas não eliminou, o risco de infiltração de cibercriminosos com aplicativos maliciosos na App Store da Apple. Mas alguns desenvolvedores encontraram formas de burlar esses IDs. Assim, desde 2018, a Apple começou a verificar e aprovar os aplicativos por conta própria antes de distribui-los na App Store do Mac. Se algum aplicativo baixado não for verificado e aprovado, a funcionalidade Gatekeeper evita que ele seja aberto sem a permissão do usuário.

    Mas esse não é um método à prova de falhas. Exemplos como os ataques XcodeGhost à App Store da Apple resultaram em 4 mil aplicativos infectados, demonstrando que nenhum sistema é imbatível.

    Deixando o Flash e o Java de fora

    Desde 2010, a Apple não trouxe o Flash e o Java pré-instalados em suas máquinas. Os dois aplicativos eram bastante usados nas primeiras gerações de sites, mas também exigiam atualizações de segurança frequentes. Como resultado, usuários que não fizeram aquelas atualizações ficaram vulneráveis a ataques. Na medida em que a web foi evoluindo em direção ao HTML5 e se distanciando do Flash e do Java, esses aplicativos deixaram de ser essenciais. Assim, a Apple manteve sua segurança um pouco mais reforçada ao não incluí-los em seus sistemas (mas usuários que baixam o Flash e o Java em seus Macs reintroduzem essa vulnerabilidade).

    Aplicativos na sandbox

    Outra funcionalidade de segurança é o sandbox. Ao invés de ter acesso completo aos dados dos usuários, aplicativos no sandbox tem acesso apenas aos dados necessários para o seu funcionamento. Isso significa que eles não podem acessar: outros aplicativos, o sistema operacional ou configurações críticas. Desde 2012 a Apple exige que os aplicativos fossem colocados em sandbox. Críticos dessa medida dizem que o desenvolvimento de aplicativos em sandbox é mais difícil e que eles são mais lentos, mas também menos vulneráveis a ataques.

    Apple sandboxes apps to make sure they have access to the minimum amount of data needed to perform their functions.

    XProtect

    O XProtect é uma funcionalidade de segurança integrada que verifica aplicativos baixados em busca de diversos malwares conhecidos. A palavra importante aí é malware conhecido. O sistema não cobre os códigos maliciosos que são desenvolvidos diariamente. A lista de arquivos maliciosos registrados no XProtect está longe de ser abrangente, pois ela verifica apenas uma pequena fração das definições de vírus usadas por antivírus dedicados mais potentes.

    Sem downloads de driver para dispositivos de terceiros

    Enquanto PCs estão abertos a quase todos os dispositivos de terceiros, como teclados e mouses externos, os Macs geralmente são compatíveis apenas com hardwares da Apple. Isso significa que seus usuários não precisam instalar drivers especiais para usar novos hardwares no Mac. Todos os drivers e atualizações relacionadas à Apple devem vir apenas da própria empresa, reduzindo a necessidade de atualizações constantes ou a chance de infecção por códigos maliciosos inseridos em atualizações de drivers de terceiros.

    Acabando com vírus em Mac

    Se o desempenho do seu Mac está caindo ou você percebeu outros sinais de infecção, tome essas medidas para remover o malware da sua máquina. O tipo e a gravidade da ameaça pode variar muito, então é preciso agir rapidamente. Mas em muitos casos é possível acabar com o intruso sem muito problema. Assim, seu dispositivo estará de volta à ativa rapidamente.

    O método mais eficaz para a remoção de vírus e outros malwares é com o uso de uma ferramenta antivírus dedicada para Mac. Mas tenha cuidado, não baixe a primeira opção que aparecer na sua lista de busca. Cibercriminosos também escondem malwares em aplicativos que se parecem com softwares antivírus. Por isso é fundamental o uso de ferramentas antimalwares de marcas conhecidas e confiáveis. Os desenvolvedores da Avast trabalham incessantemente para garantir que o Avast Security para Mac tenha condições de proteger seus usuários contra qualquer tipo de malware criado por cibercriminosos.

    Mas eu preciso de um antivírus no meu Mac?

    Você não deveria se preocupar com malwares apenas depois que seu dispositivo foi infectado. Para uma proteção ideal dos seus dados e do seu investimento, é fundamental ter um antivírus robusto para Mac. Prevenção é a estratégia mais eficaz.

    Enquanto Macs crescem no gosto dos consumidores, as motivações para que cibercriminosos ataquem essas máquinas acompanham a alta. Mesmo que a história mostre que cibercriminosos preferem atacar PCs, essa tendência está mudando e as funcionalidades de segurança integradas do macOS devem sofrer com o aumento da pressão. Por isso é mais importante do que nunca proteger seu Mac com uma camada extra de segurança.

    Além disso, você sabia que usuários de Mac podem transmitir involuntariamente malwares de Windows para amigos e parentes que usam PCs? Um antivírus inteligente para Mac, como o Avast Security para Mac, bloqueia todas as formas de malwares. Assim, ninguém se infecta.

    O melhor antivírus para o seu Mac

    Para garantir a segurança e o desempenho do seu Mac, é preciso baixar e instalar a melhor ferramenta antimalware disponível. O Avast Security para Mac oferece proteção essencial com detecção e prevenção completa de malware. E ele é executado silenciosamente em segundo plano para uma proteção 360°. Ele também bloqueia phishing, sites suspeitos, downloads e anexos maliciosos, além de prevenir rastreamento invasivo na internet.

    Sua segurança completa e paz de espírito estão apenas a um clique de distância: completamente grátis!

    Proteja seu iPhone contra ameaças
    com o Avast Mobile Security

    BAIXAR GRÁTIS

    Proteja seu Android contra ameaças
    com o Avast Mobile Security

    BAIXAR GRÁTIS